Um canto para leitura e reflexão

Posts marcados ‘chamada’

DIA DO PASTOR

Dia do Pastor

Segundo domingo de junho, dia do pastor. Dia de gratidão a Deus pelos que militam no ministério pastoral; dia de intercessão para que os pastores sejam guardados do mal e se mantenham fiéis ao que os arregimentou, sendo “exemplo dos fiéis na palavra, no procedimento, no amor, na fé e na pureza” (II Tm 2.4; I Tm 4.12); dia de súplica ao Senhor da seara por mais trabalhadores para a sua seara (Mt 9.38).

Neste dia é também importante resgatarmos a figura do pastor, como preceitua a Palavra de Deus. Pastores que pastoreiem segundo o coração de Deus e que apascentem com sabedoria e inteligência (Jr 3.15). Pastores que deixem noventa e nove ovelhas protegidas e alimentadas e se aventurem em busca da que se desgarrou (Lc 15), e que, encontrando a desgarrada, a trazem para junto das outras e celebrem. Pastores que se movem de compaixão ao ver ovelhas desgarradas e errantes (Mt 9.36). Pastores que chorem e lamentem quando o evangelho pregado não produza o arrependimento e a mudança almejada por Deus (Lc 19.41). Pastores que deem a vida pelas ovelhas e o ministério (Jo 10.11; II Tm 2.3, 4.5). Pastores que apascentem “não por força, mas espontaneamente segundo a vontade de Deus; nem por torpe ganância, mas de boa vontade; nem como dominadores… mas servindo de exemplo ao rebanho” (I Pe 5.2-3). Pastores que considerem o cumprimento cabal do ministério mais importante que a própria vida (At 20.24).

Como não pode existir pastor sem ovelha, hoje é dia de resgatarmos a figura bíblica da ovelha. Aquela que dá a seu pastor sustento e respeito devidos (Pv 27.27; I Tm 5.17). Que lembra de seu pastor e procura imitar-lhe a fé (Hb 13.7). Que lhe trata como homem de Deus, vaso escolhido, não como empregado, ou administrador de empresa (At 9.15). Que não hesita em procurá-lo para orientações e ajuda espiritual (At 10.1-8). Que o coloca em oração no altar do Senhor, especialmente quando percebe que seu ministério e vida correm riscos (At. 12.5).

Hoje é dia de louvarmos e agradecermos Àquele que é o dono da seara, o Senhor da igreja, que chama e convoca homens simples e os transforma em seus embaixadores (Is 6.8; II Co 5.20). Que lhes dá palavra de ousadia, intrepidez e poder (At 4.13; Ef 6.19). Que lhes transforma em vasos escolhidos para levar Seu nome “perante os gentios, e os reis, e os filhos de Israel” (At 9.15). Que faz com que Sua Palavra na boca destes homens chamados não volte vazia, mas faça o que a Ele seja aprazível (Is 55.11). Que levanta e sustenta cada pastor que lhe responde: “eis-me aqui, envia-me a mim”. Louvado seja Deus, o Senhor dos pastores!

Pr Gilvan Barbosa

A DIFÍCIL TAREFA DE SER PASTOR

O Pastor americano Philip Wagner publicou em seu Blog (http://www.philipwagner.com) um interessante e inspirador artigo sobre a difícil tarefa de ser pastor. Ele começa dizendo que Peter Drucker, uma espécie de guru de liderança, disse que os quatro trabalhos mais difíceis na América são: Presidente dos Estados Unidos, Reitor de universidade, Diretor de Hospital e Pastor. 

Wagner acha estranha a afirmativa, pois pastores amam a Deus, amam as pessoas, oram por elas, levam-nas a uma fé pessoal em Jesus, ensinam a Palavra de Deus, portanto, deveria ser o trabalho “dos sonhos”. Já imaginou, você poder ler a Bíblia todos os dias, ter tempo para orar, brincar, sair com sua família, passear… não deveria ser trabalho difícil.

Todavia, diz Wagner, Aqui está o segredo: “ser pastor é trabalho duro, não é para os fracos”.  O trabalho pastoral tem desafios únicos e muitos se desgastam tentando ajudar as pessoas. Muitos ferem suas famílias por causa do ministério pastoral.

Ele apresenta a realidade das igrejas nos EUA, onde, aproximadamente 85% têm menos de 200 pessoas; 60% têm menos de 100 pessoas. A congregação de tamanho médio nos EUA é de 89 pessoas, de acordo com o Grupo Barna. São poucos os líderes e muitas as necessidades. Em muitas situações, o pastor é um professor de Bíblia, contador, estrategista, visionário, técnico em informática, conselheiro, orador público, dirigente de culto, guerreiro de oração, mentor, instrutor de liderança e o captador de recursos financeiros.

  • * 90% dos pastores dizem que o ministério é completamente diferente do que aquilo que eles pensavam quando entraram no mesmo.
  • * 70% dizem que têm uma baixa auto-imagem agora do que quando começaram.

Wagner expressa sua felicidade em ser pastor, depois faz uma lista dos principais problemas enfrentados pelos pastores em seus ministérios: 

Alguns dos problemas únicos que enfrentam pastores são: 

1.     Crítica

Pastores podem ser criticados por um monte de gente e por uma infinidade de coisas.  “A música é muito alta”. “A adoração está levando muito tempo”. “O sermão não é profundo o suficiente e é muito longo”. “O Pastor se acha muito importante, levei 3 semanas para conseguir que ele me atendesse”. “O Pastor fala demais sobre dinheiro”. “Posso falar com você por um minuto, o Pastor?”.   Essa simples pergunta pode levar um pastor a pensar: “O que foi agora?”

Nós, pastores, precisamos encontrar uma maneira de não aceitar críticas pessoalmente e aprender com as verdades que poderiam estar escondidas nas críticas.

2.     Rejeição

A saída de membros e líderes da igreja apresenta uma realidade: as pessoas saem. Quanto menor for a igreja, o mais óbvio é quando as pessoas saem. Alguns saem por decisões razoáveis, outros saem sem motivo algum.

Wagner diz: “Quando a nossa igreja tinha cerca de 150 pessoas e alguns saíram, foi tão decepcionante. Tentei me consolar pensando: ‘dezenas podem estão saindo de nossa igreja, mas milhares de pessoas saíram da igreja de Jack, e ele é um grande pastor’”. Isso só ajudava por um minuto.

“Estamos saindo”. “Queremos algo mais profundo”. “Minhas necessidades não estão sendo supridas aqui.” Esses comentários podem soar como uma rejeição pessoal.

Cada pastor já ouviu: “Eu não estou sendo alimentado aqui”. Sério? Não sendo alimentado? Nas igrejas? Como isso é possível? Uma das condições mais difíceis de conseguir é ter uma “pele dura e um coração mole”. Ame as pessoas e mantenha o bom ânimo.

3. Traição

Confiar assuntos pessoais a membros da igreja pode ser um tiro pela culatra. Eles podem acabar dizendo as questões pessoais a outros pastores.

O pastor confia em uma pessoa com a uma função ou título e a pessoa usa a influência dada a ele para levar as pessoas para longe do pastor. O beijo de Judas.

Na relação pastor/ovelha:

  • 40% relatam um conflito com um membro da igreja pelo menos uma vez por mês.
  • 85% dos pastores dizem que seu maior problema é que eles estão cansados de lidar com pessoas problemáticas, tais como presbíteros e diáconos descontentes, líderes de louvor, as equipes de adoração, conselheiros e pastores auxiliares.
  • Os pastores apresentam como primeira razão para deixar o ministério o fato de as pessoas da igreja não estarem dispostas a ir na mesma direção e objetivos do pastor. Pastores dizem que Deus quer que eles vão em uma direção, mas as pessoas não estão dispostas a seguir ou mudar.
  • 40% dos pastores dizem que eles pensaram em deixar seus pastorados nos últimos três meses.

Nós, pastores, temos que encontrar uma maneira, com a graça de Deus, de amar as pessoas como se nunca tivéssemos sido feridos antes.

4. Solidão

Quem é meu amigo? Em quem posso confiar? Se eu contar a outro pastor meus problemas, ele vai me criticar, dizer aos outros ou simplesmente me tratar de forma diferente.

  • 70% dos pastores não têm alguém que consideram um amigo próximo.

São meus amigos realmente meus amigos ou apenas membros da igreja, que são amigos temporários, que podem sair a qualquer momento?

Amizades saudáveis são fundamentais para uma vida satisfatória, especialmente para o bem estar de um pastor. Faça um esforço especial nesta área.

5. Cansaço

  • 50% dos ministros que estão começando o ministério não permanecem por 5 anos .
  • 70% sentem que Deus os chamou para o ministério pastoral antes de seu ministério ter começado, mas depois de três anos de ministério, apenas 50% ainda se sente chamado.

Manter-se atualizado pessoalmente é uma arte e uma ciência… e extremamente importante. Quando a fadiga chega – a fé pode se dissolver. Cansaço muda a nossa interpretação de tudo. Falta de momentos de descanso podem levar você a ver o copo com metade de água como um copo metade vazio e ainda achar que a água é suja e contaminada.

6. Frustrações e decepções

Desilusões vêm de várias formas. Por causa de congregações pequenas a remuneração de pastores passa a ser um elemento de frustração e decepção. Isto acontece especialmente quando, na própria igreja, o pastor não consegue dar à sua família o que muitos de seus membros podem dar às suas famílias.

Trabalhar no ministério pode não ser algo que traga sucesso. Pastores trabalham em uma área que um bom trabalho e bom esforço nem sempre garantem sucesso. Muitos pastores trabalham duro, são boas pessoas, crentes sinceros, amam a Deus, conhecem a Palavra, têm grande conteúdo em seus sermões, mas de alguma forma eles não estão tendo sucesso. É frustrante. É como um líder de louvor que ama Jesus e tem uma voz ótima, mas de alguma forma não pode levar as pessoas a uma experiência de adoração eficaz.

Alguns de seus líderes sentem que não conseguem fazer nada direito. O ministério finalmente recebe impulso, e um líder na igreja cai. As coisas estão indo bem e, em seguida, um casal, seus maiores contribuintes, decidem sair. A igreja precisa de dinheiro, mas o pastor não quer colocar muita ênfase em dinheiro. Não é sobre o dinheiro, mas torna-se sobre o dinheiro. Tudo isso pode ser esmagador.

  • Mais de 1.700 pastores deixaram o ministério a cada mês do ano passado.
  • Mais de 3.500 pessoas por dia deixaram a igreja no ano passado. 
  • 50% dos pastores sentem tão desanimados que deixariam o ministério, se pudessem, mas não têm outra maneira de ganhar a vida.
  • 45,5 % dos pastores dizem que eles têm depressão experiente ou esgotamento na medida em que eles precisavam parar e ter uma licença do ministério.

Este não é o caso para todos os pastores. De fato, muitos que eu conheço conseguiram lidar com essas questões. 

Como cristãos e membros da igreja podem ajudar?  

  • Ore por seu pastor

Ore pedindo orientação, proteção, amigos saudáveis, seu casamento e família.

Ore por inspiração, unção, pela equipe de liderança, por unidade e clareza.

  • Proteja o seu pastor

Não permita, nem participe de fofocas e críticas.
Como você pode ajudar a prevenir a sobrecarga?

  • Incentive o seu pastor

Agradeça por seu trabalho e ministério. Agradeça-lhe por seu sacrifício.
Diga-lhes um momento específico em que você ou alguém que você conheça experimentou uma mudança de vida em sua igreja. Honre-o para os outros. Deixe seus pastores saberem que você está orando por eles.

Para Pastores

Não desista, pastor!

Persistência é uma poderosa ferramenta.

Siga em frente. Realimente seu trabalho de amor, dedicação e sacrifício.

Eu percebo que a última coisa que um pastor precisa é de outro sermão. Mas estes versos me ajudaram:

“Portanto, não jogue fora essa confiança confiante no Senhor. Lembre-se da grande recompensa que traz a você! Perseverança é o que você precisa agora, de modo que você vai continuar a fazer a vontade de Deus. Então você vai receber tudo o que ele prometeu” (Hebreus 10.35-36)

“Então não vamos cansar de fazer o que é bom. No momento certo vamos colher uma colheita de bênçãos, se não desistirmos”  (Gl. 6.9)

Tenha cuidado com a armadilha da comparação. Olhando para outros ministérios pode ser inspirador. Comparando-se a outras igrejas pode ser destrutivo e desanimador.

Faça amigos novos pastores. Exponha-se a novas influências, a novos líderes, à igrejas ou ministérios que estão fazendo algumas coisas de forma diferente.

Descubra algumas novas idéias. Algumas vezes uma nova idéia pode mudar a dinâmica do ministério.

Pastores que estão lutando ou não estão mais no ministério podem ter experimentado a dor. Encorajo-vos a encontrar a cura. Procure aconselhamento; procure compartilhar seus segredos com pessoas seguras. Lembre-se: você estará tão doente quanto os seus segredos.

Pastores – Eu vos amo! Deixe um comentário com seu nome e eu vou orar por você.

* O Instituto Fuller, George Barna, e Pastoral Care Inc. forneceram as estatísticas usadas neste Blog .

Nuvem de tags